Campinas, 11 de Dezembro de 2018
SOS CHUVAS PERMITE PREVISÃO LOCAL NO CELULAR
25/11/2016
Notícia publicada na edição n.103 do Jornal Alto Taquaral
Aumentar fonte Diminuir fonte

      Acima, a instalação do radar na Unicamp. 

Aplicativo no celular prevê tempestades

Quer saber se vai chover na próxima meia hora no bairro onde você está, se haverá granizo ou ventos fortes com possibilidade de queda de árvores? Basta olhar no celular! É o que pretende o aplicativo gratuito SOS Chuvas (Sistema de Observação e Previsão de Tempo Severo), que em dezembro passa a disponibilizar informações da região de Campinas.  O aplicativo foi desenvolvido para Android e IOS, e já pode ser baixado gratuitamente no site http://soschuva.cptec.inpe.br/  Segundo pesquisadores, se o sistema já estivesse concluído por ocasião da microexplosão ocorrida em junho, a população poderia ter sido avisada com antecedência.

Por enquanto o sistema informa chuva em tempo real, previsão de chuva para os próximos 20 minutos, raios e imagens de satélites, mas será atualizado com novas ferramentas gradualmente, explica a pesquisadora e diretora associada do Cepagri, Ana Avila. A previsão é tão precisa que será possível dizer quando e quanto vai chover em determinado bairro, saber se haverá granizo e qual o tamanho das pedras. “Poderemos orientar a população em detalhes, evitando uma série de acidentes em decorrência de queda de árvores, raios, deslizamentos de terra ou inundações, permitindo que empresas e população atuem em prevenção”, ressalta a meteorologista.

Prevenção em alagamentos

Segundo Avila, o radar instalado na Unicamp é de última geração e tem a característica de “enxergar” o interior das nuvens, os movimentos, o que está se formando. Além do benefício direto à população, ela ressalta a importância do radar na área de hidrologia urbana, por exemplo, com a possibilidade de estimar riscos de alagamento em algumas horas, dando possibilidade de alerta para regiões específicas de Campinas.

Ela ressalta que o sistema dará avisos meteorológicos, cabendo sempre à Defesa Civil, como é lei, fazer os alertas à população em caso de eventos severos. Na Região Metropolitana de Campinas as informações serão bem detalhadas. “Com esse sistema demonstramos a importância que damos a pesquisas que minimizem ou evitem todo o tipo de perdas, sobretudo as humanas”, afirmou a meteorologista do Cepagri.
Ana Avila, do Cepagri

Um sistema complexo

Com participação do Cepagri/Unicamp, o aplicativo abrange uma área de até 100 quilômetros a partir de Campinas, graças ao radar de dupla polarização, sensores de superfície e detectores de granizo instalados recentemente na Unicamp. Mas o sistema inclui também informações de equipamentos semelhantes localizados nas cidades de São Roque (SP) e Rio de Janeiro (RJ). Tanto o aplicativo (mais voltado à população) quanto a página web (de maior interesse para pesquisadores e meteorologistas) estão em sua primeira versão e serão aperfeiçoados ao longo do projeto. 

O radar está instalado na região mais alta da Unicamp (em frente ao Museu Exploratório de Ciências) onde ficará por um período de dois anos. O projeto é formado por cerca de 50 cientistas brasileiros e estrangeiros e envolve o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), ligado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Cepagri Unicamp e a Universidade de São Paulo (USP).  O desenvolvimento deste sistema vem sendo feito há mais de dez anos. O radar usado no SOS Chuva custou 600 mil euros e foi pago com recursos da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), que investiu um total de R$ 3 milhões no projeto.

  Última edição  
  Edição 121 - 26/05/2018 - Clique para ler  
© 2018 - Jornal Alto Taquaral - CG Propaganda