Campinas, 20 de Janeiro de 2018
DUAS NOVAS EXPOSIÇÕES NA CASA DE VIDRO
15/12/2017
Aumentar fonte Diminuir fonte

 As exposições “A Mente do Espantalho que Não Mente”, do Coletivo Olho Latino e  "Narrativas Incompletas", que reúne obras dos pintores contemporâneos Fabricius Nery, Kate Manhães e Danillo Villa foram instaladas na Casa de Vidro (Lago do Café) no dia 15/12 e ficam expostas até 31 de março. A visitação é gratuita, de terça a sexta, das 9h às 17h, e aos sábados, das 9h às 13h. A Casa de Vidro fica dentro do Lago do Café (Av. Heitor Penteado, 2145, Taquaral)

A mente do Espantalho
Com curadoria do artista Paulo Cheida Sans, a mostra reúne 30 obras tridimensionais com esculturas feitas a partir de materiais diversos e bidimensionais, tendo a xilogravura como destaque em todas as criações. "A exposição é a concretização de um projeto de produção artística extensa, possibilitando ao visitante conhecer um modo peculiar de criação coletiva onde cada artista, mesmo tendo a sua marca pessoal, contribui para a formação de um visual único e característico da equipe, reforçando a presença do coletivo como um dos principais do país nesse gênero", afirma o curador.

 Participam da coletiva os artistas Alex Roch, Bruno NITZ, Celina Carvalho, Cibele Marion Sisti, Lari Leite, Maricel Fermoselli, Paulo Cheida Sans, Suely Arnaldo e Tiago Rego.  A realização é do Museu da Cidade com o apoio do Museu Olho Latino.

Narrativas Incompletas
A  exposição "Narrativas Incompletas", que reúne obras de dois pintores contemporâneos. Fabricius Nery é um criador de imagens recortadas, onde funde o orgânico e as formas geométricas num jogo de desconstrução e construção de sentidos. É o espectador que passa a montar narrativas próprias a partir de suas telas e entender que no mundo em que vivemos, com a imagem se impondo, a realidade é apenas um amontoado de cacos ficcionais produzidos pela sucessão ininterrupta dessas imagens.

Kate Manhães sempre foi uma pintora interessada na poética do agrupamento de imagens referenciais, também apostando num recorte atemporal, no qual personagens e corpos se misturam à arquitetura das cidades, nunca descuidando das referências que a importam e que moldam sua narrativa sempre extrapolando, no entanto, o sentido objetivo de uma compreensão óbvia.

Danillo Villa apresenta nas suas telas a reflexão sobre momentos importantes da história da arte moderna, lidos numa perspectiva contemporânea, onde a relação entre pintura e obras ou artistas consagrados se dá sob a égide também da desconstrução conceitual de sentidos. Produção: Arte+ Produções Culturais e Ateliê Oráculo.

 

Serviço

Casa de Vidro, Lago do Café ( Av. Dr. Heitor Penteado, 2.145 - Parque Taquaral).

Período da mostra: até 31 de março de 2018

Visitação:de terça a sexta, das 9h às 17h; sábados, das 9h às 15h.

Classificação indicativa: 16 anos

Entrada gratuita

 

  Última edição  
  Edição 115 - 25/11/2017 - Clique para ler  
© 2018 - Jornal Alto Taquaral - CG Propaganda